Central

Surto de Gripe, H3N2 e "micron: Veja os cuidados

Por Gabriel Filliph em 07/01/2022 às 18:16:58

Doenças virais apresentam sintomas parecidos. Conseguir identificar os sinais de cada uma delas é interessante para tentar proteger a saúde individual e coletiva, já que o tempo de transmissão pode mudar de uma para a outra. "Independente de qual seja o vírus suspeito, é importante que, ao menor sinal de quadros respiratórios, já se inicie o isolamento", destaca a pediatra do HDM, Marina Tenório.

Gripe comum

As características básicas são febre, dor no corpo e fadiga. Cada doença tem uma evolução, mas nos casos de gripe ocorre secreção, coriza e tosse. Normalmente, é um quadro limitado e com dois ou três dias se resolve.

H3N2

Febre alta, dores nas articulações, congestão nasal, tosse, inflamação na garganta e dores de cabeça. Em geral, o paciente não precisa de internação. Os sintomas são semelhantes ao da gripe comum.

Ômicron

Os sintomas mais comuns são a perda ou alteração do olfato, perda ou alteração do paladar, febre baixa, tosse persistente, calafrios, perda de apetite, dores musculares, fadiga intensa, tosse seca ou irritação na garganta, diarréia e dores abdominais. A maioria das pessoas apresentam quadro leve e são tratadas em casa.

Flurona

O fenômeno, chamado informalmente de "flurona", costuma ser menos frequente do que a contaminação por apenas um dos vírus, mas deve se tornar mais comum em meio à nova onda de Ômicron e o surto de H3N2 no verão, fora de época.

Não há como saber, sem exames, quando a infecção é por influenza ou por Covid porque os sintomas são praticamente os mesmos.

O exame para influenza, portanto, acaba sendo feito apenas se o paciente está em estado mais crítico, com diagnóstico de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), e apresenta resultado negativo para o coronavírus.

Ter Flurona não quer dizer necessariamente que o quadro seja mais grave do que ter só influenza ou só Covid. A maior probabilidade é de ser um quadro mais leve.

Comunicar erro
2

Comentários

3