Central

Mulher vítima de importunação sexual enquanto trabalhava em Apucarana desabafa: "Muita raiva"

Por Gabriel Filliph em 24/11/2021 às 15:31:28
Caso aconteceu na segunda-feira (22) e foi registrado por uma câmera; suspeito, de 41 anos, foi preso em flagrante e encaminhado à Delegacia da Mulher. Vítima de importunação sexual dá entrevista ao Meio-Dia Paraná

A mulher, que sofreu uma importunação sexual enquanto trabalhava em Apucarana, no norte do Paraná, afirmou estar com muita raiva.

O caso aconteceu na segunda-feira (22), na Avenida Curitiba, no Centro da cidade, e foi registrado por uma câmera.

A mulher segura uma faixa de propaganda, quando o homem passa a mão no corpo dela. Ela fez um apelo para que as vítimas nunca deixem denunciar casos assim.

"É um mix de raiva com dor. Mais raiva, porque realmente eu estava de costas. Quem viu o vídeo, percebeu que eu estava completamente vulnerável, sem nenhuma chance de me defender", afirmou a mulher, pedindo para não ser identificada.

'Sensação de que mulher não tem direito ao espaço público': entenda o que é importunação sexual, veja como denunciar e leia relatos

Violência contra mulher: Veja os canais de denúncia disponíveis no Paraná

O homem, de 41 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Civil. De acordo com os policiais, ele estava embriagado.

Homem é preso após passar a mão no corpo de mulher que trabalhava em avenida de Apucarana

"Eu quero que as mulheres denunciem. E se cuidem, porque nós não estamos seguras em lugar nenhum", disse a vítima.

Marcos Correia Lourenço foi encaminhado à Delegacia da Mulher de Apucarana. Autuado em flagrante pela importunação sexual, com pena prevista de até três anos de prisão, ele responde em liberdade.

"Hoje, com uma pena um pouco mais grave, o agressor realmente é punido. Em muitos casos, não consegue pagar a fiança e fica na cadeia", afirmou a delegada Luana Lopes.

A delegada também encorajou as mulheres a denunciarem, já que nem todos os casos são flagrados por câmeras de segurança.

"Acho importante que a mulher tenha essa consciência e venha denunciar sempre. O autor vai ser preso, se for em flagrante, e, se não houver flagrante, será instaurado inquérito policial", concluiu.

Até a publicação desta reportagem, a defesa de Marcos Correia não foi localizada.

Homem foi preso após passar a mão no corpo de mulher que trabalhava em avenida de Apucarana

Reprodução/RPC

Assista aos vídeos mais acessados do g1 PR

Veja mais notícias da região no g1 Norte e Noroeste.

Fonte: https://g1.globo.com/

Comunicar erro
2

Comentários

3